"...Então verão o Filho do homem voltar sobre as nuvens com grande poder e glória.." (Marcos 13)
 
       
 
Documento sem título
 




 
 
09/05/2015
Dom Antônio Carlos Rossi Keller, bispo de Frederico Westphalen (RS), sobre o momento atual da Igreja
 

 Dom Antônio Carlos Rossi Keller, bispo de Frederico Westphalen (RS), sobre o momento atual da Igreja

08/05/2015

DE MANEIRA muito simples e direta, o fidelíssimo Dom Keller postou mensagem em sua página no Facebook em que parece fazer um desabafo sobre o momento vivido pela Igreja no Brasil de hoje. Reproduzimos abaixo:

http://4.bp.blogspot.com/-Nkljc8q2uxs/TuFC6X7xXzI/AAAAAAAAAz4/Ugqs85OnEEY/s1600/PQAAADjobfzeDP-OEq5Xx9J7-HA6VUsQH3-5V0YBAl4SSrNz8jtNFJgyp4YS5Qsyf-50s4ZZOkiJ7ojxZmKVACtFFHUAm1T1UCH_-kOjLdi3HnrStFcfOcJkz8se.jpg

Querem saber qual o grande mal do catolicismo no Brasil? Ele tem nome, endereço, CEP, CPF, etc. Tem identidade! O grande mal se chama "'teologia' da libertação" (com letras minúsculas mesmo), entendida como tem sido entendida por muitos, no Brasil.

Tudo deriva deste câncer. Muitos homens e mulheres da Igreja fizeram e ainda fazem ouvidos de mercador aos Documentos oficiais sobre a correta impostação desta "teologia": "Libertatis Nuntio", de 06 de agosto de 1984 e "Libertatis conscientia" de 22 de março de 1986. Este mal esteve, de certa forma, dissimulado durante os pontificados de João Paulo II e Bento XVI. Agora, ressurge com sua monstuosidade, produzindo as mais extravagantes situações, causando confusão entre os fiéis católicos. Especialmente a primeira Instrução (Libertatis Nuntio) é de uma clareza meridiana. Vale a pena reproduzir um parágrafo da Introdução:

    “A Congregação para a Doutrina da Fé não pretende tratar aqui o vasto tema da liberdade cristã e da libertação em si mesmo. Propõe-se fazê-lo num documento posterior, no qual porá em evidência, de maneira positiva, toda a sua riqueza, tanto para a doutrina como para a prática.

    A presente Instrução tem uma finalidade mais precisa e mais limitada: quer chamar a atenção dos pastores, dos teólogos e de todos os fiéis, para os desvios e perigos de desvio, prejudiciais à fé e à vida cristã, inerentes a certas formas da teologia da libertação que usam, de maneira insuficientemente crítica, conceitos assumidos de diversas correntes do pensamento marxista.

    Esta advertência não deve, de modo algum, ser interpretada como uma desaprovação de todos aqueles que querem responder generosamente e com autêntico espírito evangélico à «opção preferencial pelos pobres». Nem pode, de maneira alguma, servir de pretexto para aqueles que se refugiam numa atitude de neutralidade e de indiferença diante dos trágicos e urgentes problemas da miséria e da injustiça. Pelo contrário, é ditada pela certeza de que os graves desvios ideológicos que ela aponta levam inevitavelmente a trair a causa dos pobres. Mais do que nunca, convém que grande número de cristãos, com uma fé esclarecida e decididos a viver a vida cristã na sua totalidade, se empenhem, por amor a seus irmãos deserdados, oprimidos ou perseguidos, na luta pela justiça, pela liberdade e pela dignidade humana. Hoje mais do que nunca, a Igreja propõe-se condenar os abusos, as injustiças e os atentados à liberdade, onde quer que eles aconteçam e quaisquer que sejam seus autores, e lutar, com os seus próprios meios, pela defesa e promoção dos direitos do homem, especialmente na pessoa dos pobres."

Demos graças ao Bom Deus, que nos provê bispos assim dignos e fiéis, que ainda são capazes de discernir que a Igreja é infinitamente mais do que uma ONG, uma instituição de assistência social, e que, se por um lado, não pode existir a Igreja sem caridade, por outro também não pode existir a Igreja sem a Verdade. Num livre exercício de imaginação, se por qualquer motivo de força maior a Igreja precisasse, de repente, suspender todas as suas obras sociais, interromper todo o serviço caritativo aos pobres e sofredores por algum tempo... Ainda continuaria sendo Igreja.

Mas, a parir do momento em que a Igreja deixasse de proclamar a Verdade, que é o próprio Cristo, e anunciar o Evangelho, então, nesse momento, deixaria de ser Igreja. – Até porque, não há maior obra de caridade que anunciar o Evangelho, que socorre e salva às almas, que são eternas, e não apenas o corpo, material e mortal. Por isso, ordenou Nosso Senhor: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado" (Mc 16,15-16).

Caríssimo leitor que leu esta postagem até aqui, peço, por amor à Verdade, que reze comigo a oração abaixo, para que Deus Nosso Senhor nos envie santos sacerdotes, e a compartilhe tanto quanto lhe for possível.

Que o SENHOR lhe abençoe e salve!

http://1.bp.blogspot.com/-O-_1n2lVUYU/VUzsFY3WvJI/AAAAAAAAEx8/OTXT6GKlxHQ/s400/Santo-Sacerdote.jpg

Oração por santos sacerdotes

“Senhor Jesus Cristo, que para nos dar testemunho do vosso Amor infinito instituístes o sacerdócio católico, a fim de permanecerdes entre nós pelo ministério dos presbíteros, enviai-nos santos sacerdotes!

Deus Pai, Filho e Espírito Santo, nós vos pedimos pelos nossos párocos e vigários, por aqueles que estão conosco, à frente de nossas comunidades; pedimos, especialmente, pelos que estão no comando da vossa Igreja, vosso Corpo, por vossa Glória! Que se mantenham firmes na santa missão que lhes foi confiada, que se lembrem sempre de viver e agir segundo a vossa santa Vontade; que não se percam, não se deixem seduzir pelo mundo, mas permaneçam fiéis ao Evangelho, sabendo preferir sempre as coisas santas que as do mundo, a caridade divina às políticas mundanas. Que nunca se esqueçam de nos instruir e conduzir, dando-nos exemplos de santidade e fidelidade.

Agradecemos e pedimos pelos sacerdotes que verdadeiramente trabalham a serviço do Vosso Reino, que não é deste mundo; seja ensinando, abençoando ou administrando os Sacramentos da salvação. Amparai e confortai, Senhor, aqueles que estão cansados e desanimados, que sofrem injustiças e perseguições pelo Vosso Nome ou que se sentem angustiados diante dos problemas, dificuldades e provações. Iluminai àqueles que lhes são hierarquicamente superiores, aqueles a quem destes maior responsabilidade no pastoreio do vosso rebanho, para que sejam sempre nosso auxílio e nunca motivo de nossa confusão; que possamos um dia nos apresentar juntos diante de Vós, com nossos corações limpos e nossas consciências puras.

Fazei que todos sintam a presença do vosso Amor, a força da vossa Providência, o sentido do vosso Sacrifício e a natureza espiritual do vosso Reino por meio de santos sacerdotes, pelo bem de toda a vossa Igreja e de todas as almas que anseiam pela vossa Presença, neste mundo e no outro.

Em vosso Nome Santíssimo, Senhor Jesus Cristo, Deus e Senhor Nosso, com o Pai e o Espírito Santo, pela intercessão da Virgem Maria e de todos os vossos santos e santos anjos, imploramos, confiantes em vossa infinita Misericórdia.

Amém."

 

Fonte:http://www.ofielcatolico.com.br/2005/05/dom-antonio-carlos-rossi-keller-bispo.html

 
 
 

Artigo Visto: 1029 - Impresso: 157 - Enviado: 9

 

 
     
 
Total Visitas Únicas: 3.719.262 - Visitas Únicas Hoje: 313 Usuários Online: 82